Login




Designed by:
SiteGround web hosting TMontec
Hillary termina visita à China se reunindo com ativistas

Pequim, 22 fev (EFE).- A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, concluiu hoje sua visita de três dias à China assistindo a uma missa católica e a uma reunião com ativistas e feministas chinesas na embaixada americana.


 


Em Pequim, ponto final de sua primeira viagem como secretária de Estado que também a levou ao Japão, Indonésia e Coreia do Sul, Clinton assistiu a missa na igreja Cristiana de Haidian.


 


 


Ela uma das congregações aprovadas pelo Partido Comunista da China, que persegue as que não reconhecem sua autoridade, mas a do Vaticano, com o qual Pequim rompeu relações diplomáticas na década de 1950.


 


 


Em seguida, Hillary foi à embaixada americana para se reunir com participantes do "Fórum de Mulheres Líderes", onde agraciou a octogenária ginecologista aposentada Gao Yaojie com o prêmio Global Voices por sua defesa dos doentes de AIDS na China.


 


 


Gao foi perseguida pelo Governo chinês por ser a primeira a denunciar o contágio em massa de AIDS na província central de Henan devido a uma campanha oficial de compra de sangue dos camponeses, um dos fatos mais censurados e delicados da história da infecção na China.


 


 


Hillary anunciou, antes de aterrissar em Pequim, que relegaria suas frequentes denúncias das violações de direitos humanos do regime chinês ao segundo plano, para dar prioridade a problemas comuns que classificou como mais urgentes, como a crise financeira e o aquecimento global.


 


 


Estas declarações detonaram críticas de grupos defensores de direitos humanos, como Anistia Internacional e Human Rights Watch, que consideram que os problemas econômicos e ambientais estão unidos ao desenvolvimento destes direitos básicos.


 


 


No entanto, o anúncio de seu encontro com a doutora Gao provocou uma onda de detenções desde sexta-feira, quando soldados do Escritório de Segurança Pública de Pequim começaram a interrogar e a manter em prisão domiciliar outros intelectuais e dissidentes para evitar que se encontrassem com a ex-primeira-dama americana.


 


 


Hillary deixou a capital chinesa após se encontrar, no sábado, com o presidente chinês Hu Jintao, o primeiro-ministro Wen Jiabao, o conselheiro de Estado Dai Bingguo e o chanceler Yang Jiechi.


 


 


Ela firmou acordos para enfrentar a crise global e ampliar a cooperação bilateral em finanças, recursos energéticos e proteção ambiental. EFE


 


 Fonte: G1

 
Viva a Vida, Powered by Joomla!; free resources by TMontec website hosting